Thursday, November 27, 2014

No Thanks!


Copyright © 2014 Marco Alexandre de Oliveira


Thanksgiving Day is a day of giving thanks, a day of giving, a day of receiving, a day of sharing, a day for celebrating the harvest, a day for remembering the hard labor, a day when differences were settled between the Indians and American settlers, a holiday, a feast day, a day when family and friends gather together, a day of counting blessings, a day of saying grace, a day of eating, a day of drinking, a day when millions of turkeys are served on platters, a day when millions of lives are sacrificed, a day when millions of hearts stop beating, a day when gallons of blood are spilled in fields and factories, a day when pounds of flesh are unceremoniously devoured on dining tables, a day of  increasingly insatiable appetites, a Thursday followed by Black Friday, a day of shopping, a day of spending, a day of buying, a day of selling, a day of commercials and advertising, a day of fantastic promotions, a day of super discounts, a day of mega sales, a day of big deals, a day when millions of products are sold, a day when millions of dollars are made, a day when millions of employees are overworked and underpaid, a day when scores of trees are deforested and acres of land are devastated, a day when miles of air and sea are polluted, a day when a lot of sense is lost, a day of credit and debt, a day when economic prosperity fuels ecological imbalance and social unrest, a day of gratuitous and ungracious excess, a day of waste, a day wasted, a day of really long lines for incredibly short satisfaction, a day when empty souls are filled with useless junk, a day of destructive addiction, a day of obsessive compulsion, a day of mass consumption, a day when hordes of consumers are consumed by greed and desire, a day with loads of traffic jams and tons of crowds, a day when swarms of unruly customers storm the stores, a day of pushing and shoving and fighting over nothing, a day of mob violence and human stampedes, a day of costly encounters, a day of tragedies, a sad day, a dark day, a black day, a day when shadows see the light of day, a day that will ultimately come to an end... 

-- November 27, 2014


Copyright © 2014 Marco Alexandre de Oliveira

Thursday, November 20, 2014

por uma nova consciência

 

Antônio Parreiras,"Zumbi dos Palmares"



por uma nova consciência

por uma consciência negra,
para não ter consciência pesada;
por uma consciência branca,
para não ter consciência limpa;
por uma consciência brasileira,
para não ver o mundo em preto e branco;
por uma consciência verdadeira,
para não ver as raças humanas senão como um arco-íris;
por uma consciência pura,
para então ser o prisma das cores que revela a luz...

-- 20/11/2014 (Dia do Zumbi)


Copyright © 2014 Marco Alexandre de Oliveira

Thursday, October 30, 2014

RESENHA DO "REFLEXOS & REFLEXÕES" EM MALLARMARGENS

Reflexos e reflexões é o livro de estréia de Gringo Carioca. Descontraído e de leitura fácil, é uma boa surpresa para todos que acham impenetrável o universo da poesia. Na verdade creio que maior mérito não há neste apanhado de poemas de Gringo Carioca. Uma leveza de quem se encanta como noviço das palavras e nem por isso de modo menos sério ou descuidado com a lírica.
         
Creio que o poema inicial de Reflexos e reflexões já desperta os leitores para uma característica fundamental do artista. “A obra”, texto em que o poema passa a ser continuamente predicado de diferentes formas, introduz a característica mutável do artista que nunca se cansa ou se dobra diante das infinitas possibilidades. Assim, Reflexos e reflexões é fundamentalmente uma obra aberta, que pede e anseia pela interferência do leitor para não ficar velho, antigo, pra não acabar, pra ser reformado, pra não ter regresso ou recesso e pra ter sua cara. Digo isso, replicando alguns dos predicados do poema que apresenta as possibilidades de Reflexos e reflexões.



         
Em uma obra aberta, no mais criativo dos sentidos que essa atribuição possa assumir, é natural que o autor proponha jogos de leitura e representação. Há no livro poemas curtinhos, como “Só lido”, que transcrevo: “Bom dia, / solidão. // Boa tarde, / sol. // Boa noite, / só.” Também outros, quase provocações, assim como “Acessar”, “Aguardar”, “ Anjo malandro”, “Separação”, para citar apenas alguns. Estes e muitos outros ao longo do livro, são poemas que de um modo direto e sincero brincam com os sons e colocam situações quotidianas que certamente pulam na mente de qualquer leitor, mas que Gringo Carioca teve coragem de colocar no papel, demonstrando assim uma jovialidade que muitos artistas passam toda a vida pra aprender, e fracassam justamente por que no cerne de tudo esqueceram que a obra abre-se como criança, primeiramente, e de um ludus ontológico nascerá a arte.
      
Os poemas “Casa de areia”, “Cegueira”, “Esperança vazia”, “Paz”, “Romance” e “Tudo em vão”, por sua vez presenteiam o leitor com o contraponto de imagens poéticas mais elaboradas. Aliando em si alguns clichês poéticos revisitados com técnicas variadas, como assonâncias e repetições internas se alternando com rimas de diferentes tipos, sem excessos nem exageros: simples poesia que soa bem à voz da leitura.
         
Um livro divertido e leve, Reflexos e reflexões, de Gringo Carioca nos apresenta uma poesia com um caráter pop, e uma reflexão fundamental sobre a acessibilidade da palavra. Concluindo com alguns dos versos do autor: “o poema é uma obra em progresso // o poema é um projeto / o poema não tem hora pra começar / o poema não tem hora pra acabar / o poema não depende apenas do poeta”, é um convite à obra. 

-- ROBERTO DUTRA JR.
  
 
 
Roberto Dutra Jr. é um neurótico social como todo brasileiro de cidade grande. Adora literatura, mas as palavras não fazem mais sentido. Mestre em Letras, tem um livro publicado e diversos artigos de caráter acadêmico e crítico publicados. Foi editor de revista acadêmica, contribuiu para jornais e revistas literárias no Rio de Janeiro  e tem um seríssimo flerte com a música. Adora gatos e poemas, que movem-se na penumbra e nunca revelam-se inteiramente. Leia mais textos do autor aqui.

http://www.mallarmargens.com/2014/10/roberto-dutra-jr-resenha-reflexos.html

Monday, October 20, 2014

a quem



esqueço de me lembrar como
era alguma uma vez,
num algum lugar eu era
algo a mais ou menos,
lá longe onde
até o fim me achei
alguém

se ninguém como alguém
é alguém para ninguém
por algum ou nenhum momento...

nos seus olhos
um espelho
reflete a sombra;
no seu coração
uma chave
revela o segredo;
na sua voz
um eco
responde:
talvez, talvez, talvez...

escolhe –
este ou esse –
e aí?

a noite, às vezes, amanhece
no dia do são nunca para sempre...

me lembro de esquecer como
não era nenhuma uma vez,
em nenhum lugar eu não era
nada demais nem menos,
aqui enquanto ainda
desde o início não me acho
ninguém

Copyright © 2009/2014 Marco Alexandre de Oliveira

Friday, October 17, 2014

"a obra" em MALLARMARGENS: REVISTA DE POESIA E ARTE CONTEMPORÂNEA



– para cê



o poema está em obra

o poema tem que ser consertado
o poema tem versos que precisam ser trocados
o poema está vazando palavras
o poema está quebrado
o poema não funciona
o poema não tem mais jeito
o poema já está ficando velho
o poema é muito antigo
o poema precisa de novas ideias
o poema precisa de algumas melhorias
o poema tem que ser reformado

o poema é uma obra em progresso

o poema é um projeto
o poema não tem hora para começar
o poema não tem prazo para acabar
o poema não depende apenas do poeta
o poema é feito com muito suor e esforço
o poema tem material e mão de obra
o poema tem orçamento indefinido
o poema não emite recibo nem nota fiscal
o poema pode ser pago com cheque ou em dinheiro
o poema pode sair bem caro
o poema não é nada barato

o poema é uma obra sem regresso

o poema faz muito barulho
o poema faz muita bagunça
o poema causa transtornos na vida da gente
o poema acorda todos os vizinhos
o poema tira o sono e não deixa dormir
o poema recomeça amanhã cedo
o poema incomoda bastante
o poema dá muita dor de cabeça
o poema dá bastante trabalho
o poema tem vários imprevistos
o poema está ficando complicado

o poema é uma obra sem recesso
o poema está totalmente desorganizado
o poema não foi planejado direito
o poema está muito atrasado
o poema precisa de mais tempo
o poema precisa de mais espaço
o poema está demorando demais
o poema é muito imperfeito
o poema apresenta vários defeitos
o poema precisa de alguns retoques
o poema precisa ser refeito
o poema não termina nunca

o poema tem obra em excesso

o poema está quase pronto
o poema só precisa de mais algumas linhas
o poema está chegando ao fim
o poema já vai encerrar
o poema vai ficar ótimo assim
o poema vai ser uma maravilha
o poema nunca vai parecer o mesmo
o poema será bem diferente
o poema será outra coisa
o poema terá a sua cara
o poema será uma beleza

o poema é uma obra...


PIZZARAU (10/2014)

"Uma figura anônima, híbrida e ilusovisionária da Am. do Norte ao Sul, radica(liza)do na metrópole pre-pós-moderna do Rio de Janeiro, ex-capital do Brasil. É também o alter-ego do Dr. Marco Alexandre de Oliveira, escritor, tradutor e professor de Literatura e Cultura Americana e de Língua Inglesa na PUC-Rio". 

Este é GRINGO CARIOCA, que estará daqui a pouco no palco do Pizzarau de Outubro - aperte o verde e confirme! de HOJE, a partir das 20h, e estará, também, lançando o seu livro "Reflexos & Reflexões", Ed. Oito e Meio.
Entre a vanguarda e o pop, entre o verbal, o visual e o vocal, entre línguas e linguagens, a sua obra poética compõe diversos reflexos e reflexões. Quer ler mais?? É só clicar quando voltar do evento! 

site: gringocarioca.com | blog: gringocarioca.blogspot.com
contact: gringocarioca@gmail.com. ;)
 
"Uma figura anônima, híbrida e ilusovisionária da América do Norte ao Sul, radica(liza)do na metrópole pre-pós-moderna do Rio de Janeiro, ex-capital do Brasil. É também o alter-ego do Dr. Marco Alexandre de Oliveira, escritor, tradutor e professor de Literatura e Cultura Americana e de Língua Inglesa na PUC-Rio".
 
Este é GRINGO CARIOCA, que esteveno palco do Pizzarau de Outubro - aperte o verde e confirme! de 08/10, lançando o seu livro "Reflexos & Reflexões", Ed. Oito e Meio.

Entre a vanguarda e o pop, entre o verbal, o visual e o vocal, entre línguas e linguagens, a sua obra poética compõe diversos reflexos e reflexões. Quer ler mais?? É só clicar quando voltar do evento!
 

site: gringocarioca.com | blog: gringocarioca.blogspot.com
contact: gringocarioca@gmail.com.
 
Info: 
 
O PIZZARAU é o sarau de sabores da Lapa, que tem como ingredientes fixos as poetas Letícia Brito e Yassu Noguchi.

A divisão de sabores mais pedida é meio Arte e meio Poesia. Em rodízio, artistas, escritores e poetas convidam a plateia para saborear pizzas e poemas e provar gostos e sons. No momento à francesa, a diversão é partilhada por todos que participam do “microfone aberto”. É um grande encontro para recitar seus poemas e curtir tantas expressões artísticas!

Venha se deliciar conosco e conferir o nosso menu!
*Pizzas e bebidas artesanais do restaurante La Carmelita complementam esta noite de experiência de sentidos.

 Na programação:

#POESIA:
Manoel Herculano - poeta, ator, dramaturgo e compositor mara...nhense, que apresenta o espetáculo solo "ESPELHOdePALAVRAS - Poemas de Amor e Humor. [ http://manoelherculano.blogspot.com.br/ ]

Victor Colonna - poeta e cronista - tem dois livros de poesia publicados: "Sujeito Oculto" e "Cabeça, Tronco e Versos".
[ www.deitandooverbo.wordpress.com ]

Cairo Trindade - escritor, poeta, ator e diretor. Criou a Gang, faz recitais e performances poéticas pelo Brasil, com A Dupla do Prazer.
[ http://www.cairotrindade.com/ ]

Viviane de Sales - poeta e organizadora do sarau Poesia de Esquina que acontece na Cidade de Deus.
[ https://www.facebook.com/viviane.desales?ref=ts&fref=ts ]
[ https://www.facebook.com/poesia.deesquina?fref=ts ]


#PERFORMANCE e POESIA
Coletivo "Um terço da semana", formado por Braulio Coelho, Breno Coelho e Vinicius Varela, apresentando a performance "O mundo no aú sem mão".


#RITMO e POESIA:
MC DEEK
[ https://soundcloud.com/mc-deek-1/tracks ]
e Plt MC
[Ordem e Progresso http://youtu.be/wZCs56ILyjo]

#POESIA VISUAL

- FILME
Curta-doc "Movimento de Arte Pornô", de Cairo Trindade

- FOTOGRAFIA
André Ganem Misse - fotógrafo, publicitário e multi-artista exibirá algumas de suas lindas fotografias que compõem a série "Personas" com retratos do imaginário carioca, obtidas em anos de olhar atento, profundo e certeiro sobre as ruas, paisagens e pessoas.

#LANÇAMENTO de LIVRO:
- poesias
Gringo Carioca ("Reflexos & Reflexões", Ed. Oito e Meio) + palco

Zeh Gustavo ("Pedagogia do Suprimido", Ed. Verve)
[ https://www.facebook.com/zehzeira/notes ]


--------------------------------------------
*Sorteios e jogos poéticos.

#POETAS RESIDENTES:
* Letícia Brito [ https://www.facebook.com/livrodalele?fref=ts ]
* Yassu Noguchi [ https://www.facebook.com/yassu.noguchi?fref=ts ]


SERVIÇO:

PIZZARAU - sarau de poesia e artes
Edição "Pizzarau de Outubro - aperte o verde e confirma"
Local: La Carmelita
Data: 08/outubro (quarta) / Hora: 20h
(a casa abre às 19h)
Couvert: R$10,00
Professores de artes, cinema e literatura não pagam

Idealização - Letícia Brito
Realização - Letícia Brito, Yassu Noguchi e Syl Dietrich
Designer - Mario Filho
Comunicação e fotografia - Syl Dietrich
Apoio - La Carmelita
http://www.lacarmelita.com.br/la-carmelita/pizzarau/

Thursday, September 11, 2014

"Poema Diário"

O blog "Poema Diário", editado por Daniel Russell Ribas, publicou um texto do Gringo Carioca sobre passageiros:

http://pordiaumpoema.blogspot.com.br/2014/09/o-que-e-bom-de-e-o-que-tem-de-gringo.html

Wednesday, September 03, 2014

Wednesday, August 27, 2014

REFLEXOS E REFLEXÕES NO CEP 20.000 (28/08/2014)

CEP 24 ANOS / quinta 28/ no Sérgio Porto / Humaitá 20 hs 20 hs 20 hs. 5 reais.

"O cara faz 18, 19, 20 anos e tem o que falar. Então vai lá e fala. Depois faz 28, 30 anos, vai cuidar da vida. Mas já tem nova galerinha tendo o que falar.Então vai lá e fala.
O CEP é o primeiro palco de muitos poetas, músicos, atores e performers no Rio de Janeiro. Ali se ama, se trama, se reclama, se declara.
O CEP é o lugar da experimentação numa cultura que cada vez mais se guia pelo manual de boa conduta do mercado. Tudo muito adequado. No CEP não. Ali se delira. Ali a poesia explode a plenos pulmões.
Ah, o CEP: só indo, só vendo, ouvindo, vivendo. Só indo, só vendo, ouvindo, vivendo."
(trecho final da Uma História à margem", meu monólogo auto biográfico)

*************************************************************************************

24 anos de cep. queria chamar todo mundo q já passou por lá. quem sabe ano que vem - 25 anos - fazemos um gigante. essa é a nova escalação para quinta feira no sérgio porto.

Nova programação.

20:00 – Alice Sant'Anna e Ismar Tirelli Neto
20:10 – Fred Girauta
20:15 – Lucas Matos
20:20 – Aline Miranda
20:25 – Maria Rezende
20:30 - Adiron Marcos
20:35 - João Victor Brito
20:40 - Clara de Góes e Plástico Bolha
20:45 - Sábado e Domingo ( Breno e Braulio Coelho)
20:50 - Yassu Noguchi
20:55 - Marco Alexandre de Oliveira(lança livro "Reflexos e Reflexões")
21:00 - Marilene Vieira
21:05 - Joao Rodrigo Ostrower (lança videoclip)
21:10 - Beatriz ProvasiAvla Cortex
21:20 - Glauce Guima
21:25 - Luana CostaJone Castilho
21:30 – Guilherme Levi (lança o livro "Pacto")
21:35 - Tereza Seiblitz
21:40 – Jardins Portáteis ( Cristina Flores, Joao Marcelo Iglesias , Eduardo Sande, Diana Behrens)
22:00 - Dimitri Rebello+ Fernando Paiva + Alexandre Hofty lançam CD "A última peça"
22:30 - Tavinho Paes
22:35 - DeMillus e Duloren
( Carlos Antonio Mattos e Claudio Antunes Monjope)
23:00 - fim.

foto: carolina spork



Tuesday, August 26, 2014

Hal "Bodhidharma" French (In Memoriam)

Hal French (1930-2014)



I remember your smile with a tear:
Nothing special's happening here...

-- Marco Alexandre de Oliveira


Tuesday, August 19, 2014

Lançamento: REFLEXOS & REFLEXÕES


scenarium


luz, câmera, ação...


uma musa

sem nenhuma

música



canta a sua canção...



a história

conta

a memória



de querer ser sequer



o tom

do som

do silêncio



não-senso em essência,

aparência da presença da ausência



"olhos nos olhos,

espelhos de espelhos,

ecos de ecos de ecos:"



"ser ou não ser em vão..."



ouviu ou viu?

viu ou ouviu?





"ser ou não ser ou não..."



olhos nos olhos,

ego cego,

pessoa em pessoa,

assombrada pela sombra



esvaziada pelo vazio

evasivo

e surreal do real

que aparentemente e de repente

parece



aparecer ou não aparecer então...





Copyright © 2014 Marco Alexandre de Oliveira